Atualização científica

Gorduras e carboidratos com doença cardiovascular

Sexta-feira, 01 de Setembro de 2017

Associação da ingesta de gorduras e carboidratos com doença cardiovascular e mortalidade em 18 países de 5 continentes (PURE): estudo de coorte prospectivo

Mahshid Dehghan, Andrew Mente, Xiaohe Zhang, Sumathi Swaminathan, et al; pelos investigadores do Prospective Urban Rural Epidemiology (PURE)

Fonte: Publicação online em 29 de agosto de 2017, The Lancet

Introdução: A relação entre os macronutrientes da dieta e doença cardiovascular e mortalidade é controversa. A maioria dos dados disponíveis são de populações europeias e norte-americanas, onde o excesso nutricional é mais frequente, então sua aplicabilidade para outras populações é incerto.

Métodos: O estudo Prospective Urban Rural Epidemiology (PURE) é um grande estudo epidemiológico de coorte, com indivíduos de 35 a 70 anos (incluídos entre 01 de janeiro de 2003 e 31 de março de 2013), em 18 países, com mediana de seguimento de 7,4 anos (intervalo interquartil 5,3-9,3). A dieta de 135.335 indivíduos foi avaliada através de questionários validados de frequência alimentar. Os desfechos primários foram mortalidade total e eventos cardiovasculares maiores (doença cardiovascular fatal, infarto agudo do miocárdio não-fatal, acidente vascular encefálico e insuficiência cardíaca). Os desfechos secundários foram todos os infartos do miocárdio, acidente vascular encefálico, mortalidade cardiovascular e mortalidade não-cardiovascular. Participantes foram categorizados em quintis de ingesta de nutrientes (carboidratos, gorduras e proteínas) baseados no percentual de energia fornecida pelos nutrientes. Nós avaliamos as associações entre consumo de carboidrato, gordura total e cada tipo de gordura com doença cardiovascular e mortalidade total. Nós calculamos a razão de risco utilizando o modelo de Cox multivariável com interceptações randômicas para avaliar cada centro.

Resultados: Durante o seguimento, nós documentamos 5796 mortes e 4784 eventos cardiovasculares maiores. O consumo mais elevado de carboidratos foi associado com aumento do risco de mortalidade total (quintil mais elevado [quintil 5] vs mais baixo [quintil 1], HR 1,28 [IC95% 1,12-1,46], p tendência=0,0001), mas não com risco de doença cardiovascular ou mortalidade cardiovascular. O consumo de gordura total e cada tipo de gordura foi associado com menor risco de mortalidade total (quintil 5 vs quintil 1, gordura total: HR 0,77 [IC95% 0,67-0,87], p tendência<0,0001; gordura saturada: HR 0,86 [0,76-0,99], p tendência=0,0088; gordura monoinsaturada: HR 0,81 [0,71-0,92], p tendência<0,0001; e gordura poli-insaturada: HR 0,80 [0,71-0,89], p tendência<0,0001). O consumo mais elevado de gordura saturada foi associado com menor risco de acidente vascular encefálico (quintil 5 vs quintil 1, HR 0,79 [IC95% 0,64-0,98], p tendência=0,498). Gordura total e gordura saturada e insaturada não foram significativamente associadas com risco de infarto do miocárdio ou mortalidade cardiovascular.

Interpretação: O alto consumo de carboidratos foi associado com alto risco de mortalidade total, enquanto a gordura total e os tipos individuais de gordura foram associados a menor risco de mortalidade total. Gordura total e os tipos de gordura não foram associados com doença cardiovascular, infarto agudo do miocárdio, ou mortalidade cardiovascular, embora a gordura saturada tenha relação inversa com acidente vascular cerebral. As diretrizes dietéticas globais devem ser reavaliadas à luz destes achados.